Centro de Estudo e Pesquisas Clínicas de São Paulo

Prof. Dr. Zan Mustacchi

Perguntas Frequentes

P: Minha filha de 3 meses tem muita prisão de ventre, sente dor e não consegue evacuar. Será que é porque ela já toma mamadeira de leite industrializado? O que posso fazer para aliviar as dores?

R: Prof. Dr. Zan Mustacchi: O ideal sempre é o leite materno, mas já que você ofereceu leite industrializado, procure usar suco de mamão, laranja e ameixa, pela manhã e à noite no volume máximo de 60ml, tudo junto.

P: Meu filho tem 7 meses e o pediatra receitou ferro e vitaminas. Ele mama no peito e come alimentos ricos em ferro. Não estou dando os remédios, com medo de prejudicar a dentição. Meu procedimento é correto?

R: Prof. Dr. Zan Mustacchi: A princípio você está corretíssima, entretanto é hábito e a Academia Americana de Pediatria sugere o complemento que seu pediatra prescreveu.

P: Meu filho tem 1 ano e 3 meses. Ele nasceu de parto normal, com 3,6kg e 50cm. Durante a gestação diminuí o cigarro, mas não consegui parar. Hoje meu filho está com o peso e a altura abaixo do desejável. O pediatra receitou vitaminas e ferro para ajudá-lo a engordar e crescer. Ele se alimenta bem. É verdade que a altura que a criança tem aos 2 anos se multiplicada por dois será a altura que ela terá quando ficar adulta?

R: Prof. Dr. Zan Mustacchi: Tem-se dito que sim, mas há uma fórmula que seu pediatra poderá usar tendo dados de estatura dos pais.

P: Eu tenho sardas. Estou grávida de 7 meses. Qual a possibilidade de meu filho nascer sardento?

R: Prof. Dr. Zan Mustacchi: As sardas podem ser hereditárias nos ruivos e podem ser sequelas de exposições solares, vai depender da situação!

P: Minha sogra comprou na farmácia um pozinho chamado ‘funchicória’. Ela disse que é tiro e queda contra as cólicas do recém-nascido. Tem alguma contra-indicação?

R: Prof. Dr. Zan Mustacchi: O pó da funchicória é um derivado vegetal que apresenta efeitos anti-espasmódicos, sem efeitos colaterais dos medicamentos habitualmente utilizados com o mesmo objetivo; não havendo contra-indicações no seu uso, desde que não abuse na frequência.

P: Durante as mamadas, como posso ter a certeza que meu bebê está tomando leite suficiente para mantê-lo saudável? Às vezes tenho a impressão eu meu leite não é o suficiente para saciar sua fome.

R: Prof. Dr. Zan Mustacchi: O seu bebê deve ganhar, durante os primeiros meses de vida, entre 20 a 30g por dia e consequentemente quando você levá-lo ao pediatra está a resposta quanto a interpretação do volume do seu aleitamento estar ou não suficiente. Portanto, se seu bebê engorda considere sua produção suficiente e se quiser produzir mais leite oferece com mais frequência o seio e tome no mínimo três litros de água por dia.

P: Meu filho de 6 anos fica com sinusite toda vez que faz aula de natação na piscina aquecida. Isto tem cura?

R: Prof. Dr. Zan Mustacchi: A sua correlação com a sinusite e a piscina aquecida pode ser verdadeira, mas é preciso afastar uma hipertrofia de adenóides que frequentemente são causas que favorecem a sinusite. Supondo que haja uma real correlação com a piscina aquecida, acredito que provavelmente não esteja no aquecimento da piscina, mas no uso de substâncias químicas, tipo cloro, que existe uma relação com sinusites alérgicas. Toda sinusite tem cura. Procure o pediatra de seu filho e ele certamente lhe orientará como curar a sinusite.

P: Meu bebê de 3 meses regurgita muito. Isto é normal? Existe alguma coisa que eu possa fazer para evitar este problema?

R: Prof. Dr. Zan Mustacchi: As regurgitações podem ocorrer normalmente sem conseqüências, entretanto é preciso ter a certeza de que o bebê esteja ganhando peso e não esteja apresentando o que chamamos de refluxo gastro-esofágico, devendo este ser afastado pelo pediatra. Como normalmente ocorrem refluxos por processos de imaturidade ou por volumes grandes de ingestão, vamos partir do princípio que este seja o caso. Mantenha o bebê em posição com ângulo de 30º, semi-sentado, faça com que ele fique no seu colo quase que de pé, sempre após as refeições e ao deitá-lo, depois desse processo, mantenha-o apoiado sobre o braço direito, de lado, isto diminuirá a possibilidade do refluxo. Entretanto não esqueça de consultar o pediatra.

P: Quando meu filho está com febre alta e preciso dar algum medicamento em gotas, ele não toma de jeito nenhum. Posso misturá-lo no suco de frutas?

R: Prof. Dr. Zan Mustacchi: Teoricamente poderia fazer a mistura, mas, muito provavelmente, o gosto do suco se modificará e em uma próxima tentativa de oferecer o suco a criança não o aceitará. Compartilho muito com a medicina européia que insiste em manter um grande número de medicações com administração por via retal (supositórios), que são de excelente absorção e resultados surpreendentes, principalmente nos casos em que a via oral não seja possível. Entenda que o uso de supositórios deve ser realizado sob prescrição médica, pois o efeito é muito similar ao uso de remédios por via endovenosa, de tal forma que a dose deve ser bem definida pelo seu pediatra.

P: Meu pai tem a mania de pegar meu filho no colo e brincar de jogar para cima e para baixo. Ele só tem um aninho. Isto pode ocasionar alguma lesão na sua coluna?

R: Prof. Dr. Zan Mustacchi: Péssimo! De grande risco!! Conhecemos vários acidentes que geraram lesões severas irreversíveis e alguns lamentavelmente letais. Alertamos sempre que brincar de jogar a criança para cima pode, em questão de milésimos de segundo, acontecer um movimento do bebê (criança) ou mesmo um mal-estar agudo do adulto que está com a criança, gerando um pequeno desequilíbrio até, eventualmente, por um pequeno susto, que gera severas injúrias neurológicas e ou motoras. O seu pediatra conhece muito bem o capítulo pertinente a prevenção de acidentes na infância e ele deverá abordar este capítulo em cada consulta para as diferentes faixas etárias de seus filhos, pois a principal função do pediatra é definida como: prevenção.

P: Tenho um bebê de l ano e meio, que mama em mim no intervalo de 3 em 3 horas. Às vezes ele muda este horário, diminuindo o intervalo para 2 horas. Fico com a sensação, que meus seios estão vazios e sem leite. É aconselhável o uso do medicamento PLASIL para aumentar a produção de leite? É prejudicial para o bebê este tipo de medicamento? Ele nasceu com 2720 KG e medindo 47 cm. Com um mês de vida já estava pesando 4600 KG e medindo 53 cm. O meu leite está sendo suficiente para ela?

R: Prof. Dr. Zan Mustacchi: Não se aconselha uso do medicamento PLASIL para aumentar a produção de leite, após 1 ano de idade para o bebê que esteja sendo amamentado! O leite não está sendo suficiente para seu bebê, pois em vista da idade dele (1a. e 1/2) já deveria ter sido substituído o aleitamento por complementos alimentares orientados por pediatra. Não há dúvidas que a amamentação mantém um grande vínculo entre o bebê e a mãe, no entanto na nossa sociedade, onde existem condições nutricionais bem acessíveis a toda população, é imprescindível a sua complementação alimentar. Tanto a quantidade quanto a qualidade alimentar do leite materno para um bebê a partir de 1 ano é evidentemente insuficiente, acarretando, na insistência do aleitamento exclusivo, deficiências nutricionais que repercutem para o adequado desenvolvimentos destes bebês.

P: Em virtude de uma depressão pós-parto, minha esposa viu-se obrigada a tomar, sob orientação médica, determinados anti-depressivos que a impediram de continuar fornecendo para o nosso bebê o leito materno. A partir do 43º dia a criança vem tomando exclusivamente leite artificial? Minha pergunta é a seguinte: haverá algum risco de comprometimento do desenvolvimento da criança? E quanto ao seu sistema imunológico?

R: Prof. Dr. Zan Mustacchi: Não há dúvidas que o aleitamento materno supera a nível de qualidade qualquer tipo de fórmula que o ser humano já produziu ou venha a produzir, no entanto, as fórmulas que “substituem” o aleitamento materno complementam algumas das necessidades básicas quanto a proteínas, minerais, vitaminas, gorduras e carboidratos. A questão da proteção imunológica complementar é que não será oferecida quando do leite artificial. Não há comprometimento do desenvolvimento das crianças que fazem uso de leite artificial, desde que adequadamente orientados quanto à melhor formulação para cada bebê, pelo Pediatra.

P: Meu bebê tem 2 meses e engasga muito, o que posso fazer para evitar acidentes?

R: Prof. Dr. Zan Mustacchi: O primeiro procedimento a ser feito é uma Avaliação Clínica da criança, após esta avaliação o profissional irá dizer-lhe quais as avaliações complementares necessárias. A Avaliação Fonoaudiológica (BERA para a idade dela) deve ser feita da seguinte forma: o bebê um dia antes terá que dormir mais tarde que o normal e ter uma alimentação noturna leve, acordar no outro dia mais cedo e alimentar-se sem exageros, antes do exame é necessário que não tenha alimentado-se até pelo menos 4 horas antes, para que durma na hora do exame (exame só é realizado se a criança estiver dormindo).

P: Ouvi falar que a anorexia pode existir em bebês recém-nascidos. Como pode ser diagnosticada? Quais os sintomas?

R: Prof. Dr. Zan Mustacchi: É evidente que o quadro de anorexia deve preocupar a todos, no entanto o termo ‘anorexia’ significa falta de apetite e consequentemente qualquer indivíduo que for ler em textos técnicos encontrará esse termo muito frequentemente; o que não significa que a temerosa ‘anorexia nervosa’ (aquela que gera um grave comprometimento, já referida na mídia como causa de morte em alguns artistas) seja o tema em discussão. Concluindo, a anorexia (falta de apetite) pode ocorrer em qualquer faixa etária e quando acontece em lactentes deve ser procurada uma causa clínica que seja compatível com mal-estar, gerando falta de apetite. Isto habitualmente encontra-se em infecções virais, otites e infecções urinárias.

P: Tenho um bebê de 1 mês e meio. Toda vez que vou amamentá-la, é um tormento, pois meu bico rachou e ela acaba mamando sangue. Isso faz mal ao bebê? O que faço para curar isso?

R: Prof. Dr. Zan Mustacchi: O fato de apresentar rachadura no mamilo, muito provavelmente está correlacionado a uma falta de orientação no preparo de seu mamilo para a amamentação. No entanto, considerando que o mamilo já rachou você deve ser medicada pelo seu Ginecologista com pomadas que irão auxiliar a cicatrização e favorecer a rápida recuperação para continuar a amamentação. Por outro lado, a quantidade de sangue que o bebê eventualmente toma devido a essa circunstância, não lhe faz mal nenhum, portanto fique despreocupada e enquanto ainda estiver com o mamilo machucado uso protetor de silicone que costuma auxiliar muito, reduzindo o sangramento enquanto amamenta.

P: Minha filha de 8 anos acaba de menstruar. Fiquei assustada. Isso é normal? Ela já pode engravidar?

R: Prof. Dr. Zan Mustacchi: Dia a dia estamos observando casos onde a ‘menarca’ (nome do primeiro ciclo menstrual) apresenta-se mais prematuramente. Para tal situação, alguns aspectos clínicos devem ser imediatamente excluídos com exames objetivos e dirigidos, pois a manifestação muito precoce da menstruação pode estar correlacionada a alterações hormonais por distúrbios glandulares, que devem ser investigados com relativa urgência. Por outro lado, como já referimos, essa situação está cada vez mais presente no cotidiano, principalmente dos Pediatras e ao que tudo indica, quando excluídas as causas correlacionadas a doenças glandulares, o processo da maturação sexual prematura está vinculado a uma forma recentemente identificada de estimulação, induzida por estímulos constantes das nossa emoções recebidas pela visão e audição (situação em que uma criança inconscientemente ao assistir um programa de televisão ou ouvir um programa de rádio, e por que não uma determinada música, é estimulada quanto a sua sexualidade, atingindo dessa forma uma via metabólica que ainda não havia sido despertada e, consequentemente, determinando uma liberação de alguns hormônios e suas manifestações clínicas consideradas prematuras, devido a precocidade da faixa etária em que se expressa). O fato de apresentar a ‘menarca’ já pré define a possibilidade de engravidar. Não esqueça que o uso agudo (momentâneo) de algum hormônio que tenha sido ingerido por uma criança (por exemplo anticoncepcional), acidentalmente ou não, também pode ser responsável pela indução de um ciclo menstrual.

P: Comecei a deixar meu filho de 2 anos escovar os dentes com pasta de dente. Ele não consegue jogar fora da boca a água e a pasta, engolindo tudo. Gostaria de saber se não faz mal?

R: Prof. Dr. Zan Mustacchi: Desde que o envoltório do creme dental não seja feito de materiais antigos (como o chumbo), não motivo para preocupar-se. Procure fazer uso de cremes dentais sem adsorventes e sem substâncias que aumentem o brilho ou clareie os dentes, ou então prometam a redução do tártaro. Þ Olhos diferentes

P: Meu bebê nasceu com um olho cinza e outro castanho. O médico me disse que isso é normal. Como é possível? Ele está com 3 meses, será que a cor ficará igual?

R: Prof. Dr. Zan Mustacchi: A situação onde a criança nasce com olhos de cores diferentes é definida como “heterocromia de íris”, a qual pode, inclusive, manifestar-se em um único olho, isto é ter metade azul/verde e a outra metade castanho. Tal situação não é frequente e está intimamente ligada a modelo de hereditariedade. Devemos entender que em cerca de 50% dos casos esta manifestação pode ser reconhecida em outras gerações da criança. É muito importante e considero como imprescindível, a investigação da acuidade auditiva de todos os indivíduos que apresentem heterocromia de íris, de tal forma que essa manifestação oftalmológica pode estar associada a uma diminuição da audição, que pode estar inclusive ausente (surdez). Sugiro uma imediata audiometria de tronco (B.E.R.A.), que quando normal tranqüiliza a todos.

P: É verdade que a criança que nasce através de fórceps, carregará problemas de saúde no futuro?

R: Prof. Dr. Zan Mustacchi: Não necessariamente! É possível que aconteça desde que tenha sido realizado um fórceps sem adequados cuidados e/ou inapropriadamente. Entretanto, nos nossos dias há indicações absolutas de fórceps e estas devem ser feitas por profissionais capazes e habilitados e, portanto, sem gerar nenhum tipo de comprometimento.

P: Tenho medo de não saber educar meu filho. Pois sempre vejo as mães falando que não se pode dar tudo que a criança quer porque ele fica mimado ou surge aquele rótulo de que o “filho está dominando a mãe”. O que posso fazer para educá-lo sem que ele fique revoltado ou eu um culpe por não fazer suas vontades?

R: Prof. Dr. Zan Mustacchi: É prudente aprender a dizer NÃO, principalmente em função de que é muito frequente usarmos pesos e medidas diferentes para situações muito similares. Diga sempre as mesmas coisas, ou seja, a criança é criança em todas as circunstâncias. Ele não pode ser um “rapazinho” em algumas situações que lhe interessam e um “bebê” em outras!!! Procure entender que ele não consegue interpretar que para tal situação é um jovem “rapazinho” e para tal atitude ele ainda é muito pequeno. Portanto, tente ser o mais clara e objetiva possível, respeitando seu filho em todos os momentos e circunstâncias, mostrando seus parâmetros bem definidos e claros. Dê-lhe respostas e atenção objetiva e definitiva, de forma que não o confunda, para que desta forma você mereça um constante crédito por suas atitudes. O filho não domina a mãe, o que acontece é que a mãe se faz dominar por atitudes variáveis e inseguras. Tenha segurança, carinho, respeito e receba tudo em triplo.

P: Meu bebê de oito meses está com chulé. O que posso fazer para resolver esse problema?

R: Prof. Dr. Zan Mustacchi: Os odores desagradáveis, principalmente nos pés, estão relacionados com proliferação de microorganismos, sugiro usar sabonetes anti-sépticos e talcos especiais anti-sépticos em pequena quantidade e bem espalhados; banhando os pés 3 vezes ao dia, não usando nenhum tipo de meia e dentro do possível o calçado deve ser sempre aberto.

P: Meu bebê está com seis meses e eu já desmamei. Mas ele não consegue ganhar peso e minha sogra quer que eu engrosse o leite com maizena e açúcar. Isso é correto? Como fica o uso de açúcar nas mamadeiras? Ele pode ser substituído por mel?

R: Prof. Dr. Zan Mustacchi: A definição de não conseguir ganhar peso está obviamente vinculada a um controle deste, a partir de uso da mesma balança e neste caso o Pediatra é quem determina a insuficiência ou a perda do ganho de peso esperado. É imprudente engrossar a mamadeira ou adoçá-la sem a adequada orientação médica. De fato, atualmente o açúcar é o mais indicado para adoçar as mamadeiras e a sua substituição por mel foi usada por muito tempo sem que houvesse nenhuma contra-indicação, entretanto a Academia Americana de Pediatria, a partir desta última década, não recomenda que esta substituição seja feita. Talvez uma forma adequada seja a de usar derivados de dextrinomaltose ou de “melados de glicose”, do tipo mel Karo®.

P: Ouvi falar de uma doença que pode cegar, chamada retinoblastoma. Meu bebê está com dois meses e nunca suspeitei que isso pudesse acontecer. O que é isso? Quais são os meios de diagnósticos? Existe uma forma de prevenir essa doença?

R: Prof. Dr. Zan Mustacchi: De fato o Retinoblastoma é uma doença oftalmológica que se não diagnosticada a tempo muitas vezes acarreta a cegueira. Entretanto, esta doença oftalmológica, que também é de caráter genético, é rara, isto não significa que não acontece. E acreditamos que o exame oftalmológico que o Pediatra deve fazer pelo menos em cada consulta, oferece-lhe a oportunidade de pensar neste problema, mas, sem dúvida nenhuma, é o Oftalmologista que tem melhor capacitação técnica para caracterizar e prevenir o Retinoblastoma. Acredito que todos os recém-nascidos deveriam fazer o que chamam de triagem oftalmológica e audiológica e a primeira condição determinaria anomalias anatômicas e funcionais da acuidade visual neste período, devendo ser repetidas estas avaliações pelo menos com 1 ano de idade, aos 2 anos e 6 meses de idade e aos 5 anos de idade, ou então, obviamente, em qualquer suspeita ou queixa dirigida. Sugiro, portanto, que o Oftalmologista a tranquilize.

P: Meu bebê está com dois meses e estou assustada com a quantidade de cabelos que perde. Quando vou tirá-lo do berço, pela manhã, o travesseirinho está coberto pelos fios. Isso pode ser uma doença? Como prevenir a queda dos cabelos?

R: Prof. Dr. Zan Mustacchi: Os bebês quando nascem cabeludos ou mesmo com poucos cabelos tendem a perdê-los, pois há uma troca dos cabelos que originaram-se durante a vida pré-natal com a pós-natal, que passam a ser de quantidade muito maior. Portanto, você pode até guardar os cabelos de seu filho como lembrança e presenteá-lo em uma momento de maior importância da relação mãe/filho, por exemplo quando ele estiver na adolescência. O mais importante é que você deve tranquilizar-se, pois a cabeleira se expressará (virá a tona), ele não ficará uma criança careca, situação esta que não podemos afirmar após a terceira década de vida. Obviamente, existem infrequentes situações de origem genética que afetam principalmente crianças do sexo masculino, acarretando uma calvície prematura generalizada, portanto existe uma ausência de pelos em todo o corpo, o que não é o caso. Então fique tranquila, pois o seu bebê oxalá ficará careca pela primeira vez ao entrar em seu curso universitário ou em situação de moda social antes deste momento.

Imprimir